fbpx

Orgasmo Feminino, nada mau, e necessário.

Gozar é preciso!

Sim, foi essa verdade que motivou a ciência a entender o orgasmo feminino. Graças às deusas hoje as mulheres têm importante participação na ciência, mas foi um homem quem descobriu o generoso órgão voltado apenas para o prazer. Tudo isso a busca pelo misterioso orgasmo feminino.

 

a busca pelo causador do orgasmo feminino
onde está o orgasmo feminino?

Matteo Realdo Colombo não foi  exatamente quem descobriu o clitóris, mas foi ele quem, no século XVI, descobriu a função do nosso pequeno herói. Entretanto ainda que esse “Colombo tenha feito uma descoberta muito mais importante que seu “parente”, aquele tal de Cristovão, o próprio Mateo não chegou nem perto de  saber a importância do seu feito, e a comunidade científica nem pensava em ouvir o que as mulheres achavam… 

Se ouvissem, já naquela época o orgasmo feminino poderia ter sido “desvendado”.

Devido a ignorância da época, o clitóris foi visto até como motivo de distúrbio mental, dado que por questões morais, religiosas, ou talvez inveja, não se aceitava que a mulher pudesse ter prazer, e prazer sem penetração então, era ainda mais absurdo. Até o pai da psicanálise Sigmund Freud, nesse caso um padrasto dos piores, já no século XX, alegava que as mulheres que sentiam prazer com estímulo clitoriano, eram imaturas ou neuróticas.

Como se as mulheres fossem iludidas pela idéia de que o clitóris gerava prazer.. tipo, “esse orgasmo feminino ai é coisa de loca”

A pergunta é: como esse cara afirmava isso com tanta certeza?….. Ele tinha um clitóris? Não né Simão Frederico!!

 

Evolução com um toque feminino.

 

Mas a humanidade evolui, e finalmente, com a ajuda de uma mulher…. com a experiência unida a ciência… o clitóris foi finalmente reconhecido como o centro do prazer, o orgão que existe única e exclusivamente para o prazer feminino. E o pequeno, que na verdade nem é tão pequeno, desempenha muito bem seu papel. Ajudando muito a chegar ao cobiçado orgasmo feminino.

O Clitóris foi consagrado graças aos pais da Terapia Sexual Moderna William Howell Masters e Virginia Eshelman Johson, até porque se dependesse do Simão lá da psicanálise, nosso herói do prazer estava perdido….

Graças a Virginia e Willian, hoje sabemos muito mais sobre o prazer feminino. Sabemos que o clitóris não é apenas aquele botãozinho no alto da vagina. O cara é maior que isso, bem maior, composto pelas as raízes, os bulbos, o tronco e a glande (sim a glande é o botãozinho…).

Sabemos que é o orgão com maior número de terminações nervosas do corpo. Sabemos até que assim como o orgão sexual masculino, o clitóris também precisa de uma pausa!

Sim, após o êxtase é comum que o clitóris fique muito sensível, esse é o modo dele pedir um tempo. Claro que esse tempo varia de mulher para mulher, e além disso a mulher, e que os homens morram de inveja, não depende apenas do clitóris para ter prazer.

Hoje sabemos que a mulher que sente prazer no clitóris não é neurótica, ela é feliz, é realizada, é plena!!

Sim, dado que o orgasmo gera felicidade. 

 

Orgasmo feminino é saúde!

 

Foto de Hean Prislo https://unsplash.com/photos/RCXkMy0kd5o

Durante o orgasmo é liberado um neurotransmissor responsável pela sensação de prazer, a anandamida. 

Durante a excitação ocorre um leve inchaço das mamas, das aréolas, dos mamilos, dos grandes lábios, da vulva, dos pequenos lábios, do útero e dos vasos sanguíneos em volta da vagina. Isso para que a mulher se prepare para o ato sexual.

O orgasmo promove a desinchamento dessas partes do corpo, gerando maior relaxamento. 

O orgasmo torna a mulher ainda mais forte,….. eu sei que você se perguntou “como é possível, as mulheres já são muito fortes..” mas é isso mesmo, orgasmo é poder!

 Durante o orgasmo a atividade do Núcleo Cuneiforme aumenta, e esse núcleo é responsável pela resistência a dor. 

Ou seja, a desculpa da dor de cabeça precisa ser revista, algo tipo, “não to afim” é bem melhor…

 

 

Maravilhoso sim, mas orgasmo feminino não é tão fácil.

 

Claro que nem tudo é perfeito. Nosso herói do prazer é um tanto criterioso, não é só chegar e tocar para que a mágica aconteça. 

É preciso que o estímulo seja preciso, e isso não quer dizer que o estímulo preciso seja o mesmo para todas as mulheres. 

Sexo oral, penetração, uso de vibradores, … Há diversos modos de fazer uma mulher chegar ao orgasmo. Mas a ciência também nos traz más notícias.

-mais de 75% das mulheres não atingem orgasmo com o parceiro.

-em 2017 um estudo da USP concluiu que metade das mulheres brasileiras têm dificuldade de chegar ao orgasmo.

Foto de Claudio Scott https://pixabay.com/pt/users/claudio_scott-4913238/

-mulheres homossexuais tem 20% mais chances de atingirem o orgasmo durante a relação.

Como estudo, é preciso que os dados sejam analisados, isso não quer dizer que 75% das mulheres não possam ter orgasmos, nem que metade das mulheres brasileiras não terão orgasmo e nem que a mulher deve ser homossexual para ter orgasmos.

Podemos analisar que 75% das mulheres precisam entender melhor seu corpo, sozinhas e junto com seus parceiros ou parceiras. Assim como a metade das mulheres brasileiras.

E podemos observar que as mulheres homossexuais são percentualmente mais conscientes dos seus corpos e de como devem chegar ao orgasmo.

O importante é que com tantos benefícios, o orgasmo é essencial para o ser humano, e a mulher é dotada de uma incrível capacidade de ter orgasmos. Ainda que a própria mulher ou parceiro (a) não tenha, digamos… “habilidade” para estimular os pontos certos. 

 

 

 

A ciência a favor do prazer.

 

O primeiro acessório para o orgasmo feminino
The Manipulator – não é só o nome que assusta…

Para resolver essa falta de habilidade, ainda que não fosse essa a intenção na época, o médico George Taylor inventou em 1869 o revolucionário “The Manipulator”, que viria a ser o primeiro vibrador. E acredite, o cara inventou isso por que não aguentava mais fazer as mulheres gozarem…. Oh trabalho difícil viu … Mas isso é assunto para outro artigo.

Sendo assim depois que Seu George deu o ponta pé, a tecnologia não parou mais. Temos vibradores de todos os tipos, tamanhos, texturas, temperaturas e funções. 

Mas isso não quer dizer que a complexidade da mulher esteja desvendada não é?

Afinal:

 Como saber qual vibrador vai levar a mulher ao máximo do seu potencial de prazer?

 Quanto tempo de masturbação será necessário?

 E se ainda com o uso do vibrador não houver orgasmo durante a relação com o parceiro?

 Como ter certeza que o vibrador vai gerar o estímulo ideal?

Como ter OS ORGASMOS FEMININOS tão sonhados?

Não há resposta exata. Mas a busca pela sua resposta com certeza será muito, mas muito prazerosa. Teste vibradores dos mais diversos tipos, oriente seu parceiro ou parceira a tocar, beijar, acariciar de formas que seu próprio corpo vai responder que são boas ou não. Se masturbe, se sinta. 

 

O orgasmo é como a felicidade, o melhor está na busca.